Skip to main content

Depois de um ano atípico, queremos ver Portugal a dar frutos em 2021. Para além de fazer chegar quatro novos sabores bem nacionais a todas as casas, temos cinco bolsas para quem quer investir na produção de fruta, que serão atribuídas através da Academia do Centro de Frutologia Compal.

Começamos o ano a querer celebrar ainda mais as frutas e as terras de Portugal, mantendo a tradição e o prazer de procurar a melhor fruta, onde quer que ela esteja. Assim, lançamos quatro sabores únicos na nossa gama Compal Origens que vai muito para além da fruta.

Em cada embalagem, prova-se também a vontade de apostar na fruticultura portuguesa, de apoiar a produção nacional bem como de promover a origem e as respetivas regiões de onde provém a fruta.

Assim, à família Compal Origens – já bem constituída pelos sabores Laranja do Algarve, Manga Magdalena, Ameixa Black Ambar e Black Diamond e Pera Rocha do Oeste e Framboesa do Algarve – junta-se o Figo da Piteira do Alentejo e a Maçã de Alcobaça. No verão, daremos as boas-vindas a mais dois novos sabores que, para já, ainda estão por revelar.

A par deste lançamento, o Centro de Frutologia Compal (CFC) tem cinco bolsas – ao invés das três que tem sido recorrente – para atribuir a empreendedores inovadores no setor frutícola no valor de 100 mil euros.

Não é nova esta vontade de estimular a inovação no setor frutícola. Ao longo de oito anos de existência, o Centro de Frutologia Compal já atribuiu 450 mil euros em bolsas de instalação e formou mais de 84 empreendedores frutícolas. É um projeto único em Portugal que pretende valorizar a fruta nacional nas vertentes da produção, da transformação e do consumo, através de iniciativas de investigação, formação e/ou sensibilização. Para continuar um legado que tem mudado a forma de olhar e produzir a fruta, o CFC volta, este ano, a abrir as candidaturas para a sua Academia.

Até 30 de julho de 2021, podem candidatar-se produtores agrícolas de todo o país que produzem ou querem vir a produzir fruta. Serão selecionados 12 candidatos que terão acesso a formação nas mais diversas áreas – desde produção frutícola, gestão agrícola, marketing, mercados digitais, sustentabilidade e até nutrição - num total de cerca de 80 horas de formação, integrando sessões digitais e sessões presenciais com visitas a explorações agrícolas por Portugal inteiro.

De forma a criar oportunidades para o desenvolvimento de novas colaborações e parcerias, os formandos terão acesso à rede de networking que o Centro de Frutologia Compal já constitui e cresce a cada ano, valorizando sempre o que é nacional, a fruta portuguesa e quem a produz.

E como é de fruta que falamos, todos os projetos devem incidir em, pelo menos, uma das seguintes frutas: Alperce, Ameixa, Ameixa Rainha-Cláudia, Amora, Cereja, Clementina, Diospiro, Figo, Figo da Índia, Framboesa, Groselha, Laranja, Limão, Kiwi, Maçã, Marmelo, Melancia, Melão, Meloa, Mirtilo, Morango, Pêssego, Pera Rocha e/ou Romã.

Das 12 candidaturas, as cinco melhores receberão uma bolsa de 20 mil euros após o final do programa de formação. As candidaturas devem ser submetidas através do Formulário de Candidatura à Academia 2021.

Artigos relacionados que poderá ter interesse:
Curiosidades sobre o Figo da Piteira

Cookies

Este site utiliza cookies para melhorar a funcionalidade e a sua experiência de utilização do mesmo. Os cookies servem, por exemplo, para identificar o seu dispositivo de acesso, o que é útil para garantir acesso a todas as áreas do site ou para assegurar algumas funcionalidades em particular. Ao navegar neste site está a consentir a utilização de cookies.

Back to top