Skip to main content

A sua saúde agradece. Siga os conselhos da nutricionista Mafalda Almeida.

Com a correria do dia a dia, por vezes, acabamos por “saltar” o almoço ou até fazer opções menos saudáveis nesta refeição. Mas a pressa ou falta de tempo não são (mesmo!) motivos para comer mal. É importante que tenha em consideração que esta é uma das principais refeições do dia e que “quanto mais completa for, mais benefícios pode trazer”, afirma Mafalda Almeida, nutricionista. Mas que benefícios são esses? “Uma alimentação equilibrada fornece-nos a energia e nutrientes necessários ao bom funcionamento do organismo e ajuda à manutenção do nosso estado de saúde físico e mental ao longo do dia. Além disso, existe uma relação muito próxima associada à prevenção de doenças crónicas”, esclarece.

Não “salte” o almoço
Por muito tentado que se sinta a não almoçar, por exemplo, porque não tem muito tempo, evite fazê-lo. Segundo nos explica Mafalda Almeida, “é através das refeições principais que conseguimos ingerir a maior parte dos nutrientes de que necessitamos. Quando saltamos uma refeição, vai haver um desequilíbrio e consequentemente, num determinado momento do dia, vai ocorrer um pico de fome e acabamos por dar preferência a lanches e/ou snacks rápidos ou industrializados, com alimentos de baixa densidade nutricional. Daí a importância de adequar a alimentação às necessidades individuais”. 

As consequências de fazer más escolhas
“Seja ao almoço ou em qualquer momento do dia, as escolhas menos equilibradas trazem consequências e os riscos da má alimentação são vários”, salienta a nutricionista, explicando que “as doenças crónicas não transmissíveis afetam a nossa saúde e qualidade de vida”. É o caso, por exemplo, da “obesidade e sobrepeso, devido ao consumo excessivo de gorduras e açúcares, das doenças cardiovasculares (como a arritmia, o ataque cardíaco e a pressão arterial alta), principalmente como consequência de uma alimentação com excesso de sal e sódio, ou até diabetes tipo 2”.

Como deve ser o prato do seu almoço
Segundo as indicações da nutricionista Mafalda Almeida, um prato equilibrado deve ser dividido da seguinte forma:

  • 50% de vegetais (crus e/ou cozidos);
  • 25% de proteína (animal e/ou vegetal);
  • 25% de hidratos de carbono (preferencialmente, integrais).

Quanto aos alimentos que devem ou não ser incluídos no prato à hora de almoço, a resposta é simples e direta: “Todos os alimentos podem e devem entrar no almoço, contudo, o método de confeção deve ser tido em conta. Devemos evitar o consumo de fritos e trocá-los pelos assados sempre que possível”, recomenda. Um outro erro muitas vezes cometido na cozinha e que pode tornar a refeição menos saudável é adicionar “gordura em excesso durante a confeção, porque aumenta o valor calórico total”, salienta Mafalda Almeida.

Com a chegada do calor, aposte nestes alimentos
O verão “pede” refeições mais frescas e leves e que nos ajudem a lidar com as temperaturas mais elevadas. A nutricionista Mafalda Almeida refere que “os alimentos ricos em água ajudam a desinchar e a hidratar o corpo. Além disso, inúmeras funções que regulam o nosso organismo também beneficiam do consumo diário de água, como, por exemplo, a função intestinal”.

“Praticamente todos os alimentos possuem água na sua constituição, mas há opções, nomeadamente os legumes e as frutas, que fornecem muito mais água do que outras”, afirma. São exemplos:

  • Abóbora;
  • Tomate;
  • Pepino;
  • Melancia;
  • Morangos.

Podemos comer sobremesa?
Para muitas pessoas, a sobremesa é a melhor parte da refeição. Contudo, este não deve ser um hábito diário. “Ao longo do processo de aprendizagem e de reeducação alimentar, aprendemos a respeitar a nossa fome e saciedade. Podemos incluir sobremesa, como um doce, esporadicamente. Por exemplo, uma vez por semana para finalizar uma refeição especial”, sugere a nutricionista. Mas o que escolher? “As melhores opções são, sem dúvida, a fruta ou as sobremesas à base de fruta, como, por exemplo, mousse de abacate com cacau. Já as piores são todas as sobremesas processadas”, afirma.

Sugestões de almoços rápidos e saudáveis
“Alguns exemplos de almoços rápidos e saudáveis são as saladas frias, quiches, wraps e as omeletes recheadas com queijo”, sugere a nutricionista Mafalda Almeida.

Deixamos-lhe ainda uma sugestão para um almoço que tem tanto de nutritivo como de saboroso. Tome nota desta receita de wrap com salada de grão.



Ingredientes:
3/4 cup farinha de grão
1 cup água morna
Uma pitada de sal
1 c. de chá cominhos em pó
1 molho coentros picados grosseiramente
1 c. de chá de óleo de coco
1 lata de grão cozido Compal, previamente lavado e escorrido
1/2 cup abóbora aos cubos
4 a 5 folhas de couve kale
1 c. de chá paprika
1 c. de chá cominhos em pó
1/2 c. de chá açafrão
sal e pimenta q.b.
1 fio de azeite

Preparação:
Misture todos os ingredientes (com exceção do recheio) no liquidificador e obtenha uma massa uniforme. Assim que tiver uma textura obtida, amasse até ficar uma massa fina e elástica.

U
nte uma frigideira e coloque porções pequenas dos ingredientes no forno até dourar.

S
irva com o recheio de salada de grão Compal da Horta e couve e desfrute.

Encontre este e outros pratos no Guia de receitas saudáveis, saborosas e simples da marca Compal. 


Cookies

Este site utiliza cookies para melhorar a funcionalidade e a sua experiência de utilização do mesmo. Os cookies servem, por exemplo, para identificar o seu dispositivo de acesso, o que é útil para garantir acesso a todas as áreas do site ou para assegurar algumas funcionalidades em particular. Ao navegar neste site está a consentir a utilização de cookies.

Back to top